31 de dez de 2014

Mania Enraizada




eu vou tentar correr atrás do tempo
que disse não.
O contínuo se enrosca
tu cabellos
pela incerteza que não mira esse olhar atento até onde vai,
esse sinal que me manda seguir
horóscopos
de la misma

30 de dez de 2014

Eu também já tentei ter uma espécie de coletivo

até que os sobressaltos disseram que era evidente que ele
não escreveria poesia pq haveria de melhorar em algo
e, sim, ele era o melhor
já os outros, todos se deram bem na vida:
uma publicou dois livros
outro foi pra Europa
eu ainda ofereço línguas
melhores do que todos viveram
ainda não sei se quero estar onde estou,
mas estou
aqui pensando em cada um deles e acho que o strike back
disso é que relemos e nos vemos de fora
como disse ao rapaz dos olhos mais livres que pude ver
mas o que queria dizer
é que estou pensando no melhor deles
que são todos
que eram o que fazíamos de melhor

Mas lemos Carlitos, Carlinhos, Cartas
e de cada um soube ver que o que importa é ser
forte o bastante pra ficar perto daqueles
que, ao seu modo, de usar ou ser usado,
saber conectar a força de um cavalo pedindo água e
ainda assim alisar sua crina.

29 de dez de 2014

Cartão Postal da Lagoa da Pampulha

Liguei o ventilador no modo
que quis
aconselhei os três
sentados perto da lagoa
se fosse boa
bebia
pau e canoa
pra contar com quanta
cana se faz
um


28 de dez de 2014

Se neste momento



À Denise Rodrigues

a persistência de certos sentimentos dói...
Amanhã brindaremos à impermanência de tudo
comento autoria?
responde polifonia
a coisa acontece safely
e prossigo
só seria
possível se o som
soasse como o descompasso
que inspira e solta
disfarçadamente
pela gap do que não me diz.

22 de dez de 2014

Spotless (joga no google)

ao que me parece o google anda mudando meio rápido e eu também.
ao que parece meus pensamentos andam ficando muito rápidos e o seu também, ou talvez não.
o fato é que eu quis o ano inteiro te escrever um poema, que sempre julguei ruins, ou que alguém me convenceu que eram ruins, ou que eu mesma me convenci que são ruins.
mas isso é papo idiota, coisa de escritores egocentristas demais
mas o fato é que quero dizer cada vez menos, ser cada vez mais amena, cada vez mais suave.
o fato é que tentei o ano inteiro escrever um poema que dissesse algo bom, mas não rolou, sabe.
o poema é pra você.
que cantei no chuveiro.
o poema é pra ser bom, mas pode ser ruim também.
o poema pode ser o que quiser, o poema é ele mesmo.
mas ainda quero ser clara, muito clara, mas muito clara que o poema é pra você e não pra mim, mas é que a coisa é que eu e você o tempo todo de um jeito rápido demais.

José cometeu erros. Clara também. Mas podem viver bom momentos. E depois releio a merda toda e e eu tô te falando é que você me traz paz. E você me faz bem. Mas quero fazer bem.


Em todos os casos, polissêmicos, quero ser quem eu sou. e espero que seja como é no universo imaginário e a sorte da tranquilidade do seu riso.