13 de dez de 2016

Na Primeira Hora da Manhã

Na primeira hora da manhã
Mantém o corpo frágil
Na primeira hora da manhã
Faz do silêncio abrigo rápido
Na primeira hora da manhã
Corre e se abriga
Do ágil instinto
Da clara luz
Da oportuna
Vontade de correr
E sumir.

6 de dez de 2016

Samba de Primavera

À Renata Lopes

e o tempo o que faz?
É o que jamais diriam
e o sopro o que traz?
é turva água de agonia

Diria pra mim quando se satifaz
Diria assim quando a ressaca insiste num dia
Dizer o que jamais seria

30 de nov de 2016

Como Destruir a Câmara Parlamentar

Eu te pergunto quem vai te assistir morrer, eu te pergunto quem vai ouvir as teclas desse punk do caralho, eu te pergunto quem vai lembrar do seu rosto amanhã, eu te pergunto quando Aécio ocupar o Mater Dei qual vai ser a enfermeira que vai ousar assobiar a merda do pó, eu te pergunto qual perda total deu na sua cabeça, eu te pergunto a tecla sap da tradução da merda do vigiar Focô que ninguém lê, eu te pergunto qual carro que eu tenho pra destruir a merda da Odebrexe, eu te pergunto, professora, eu te pergunto qual o sinpro que pode parar uma Afonso Pena, eu te pergunto: quem vai te assistir morrer?

29 de nov de 2016

Receita de Miojo

Tomate e eu pensando em signos
ela disse
eu pensando em palhaços
tomate
3 minutos impressiono
gêmeos?
penso em adicionar requeijão
Rock you, baby


Muda a rádio
Beatles insiste
O baixista
Shakira volta
faço muito rápido

Um milhão de estrogênio
lutanto 
por nada específico

Nothing hurt you anymore
I'm gonna copy every 
single word
to:
Fala pra ela que qualquer música
é foda-se o que a rádio

sugerir antes
desse
estômago. 

Café

Ao D. Maria
café até andar a pé
café par rapar rapé
café do gosto raro
emenda de gostar
de quem se é.

27 de nov de 2016

Final do Campeonato

Hoje teve final do campeonato
Brasileiro
que nem inspeção da causa
Teve final de fogos
que nem o coveiro nato 
poderia prever
o tamanho desses jogos
verdes
Teve campo, capim e uma casa
que um dia disse
pra mim,
Que um dia espantou-se
barracão
teve cama, cozinha e 
o fogão que ainda
teimo em queimar
a beirada do
pão-de-ló
teve sotaque
teve Rio
teve até Amarante
me pus Paulista
teve comício
teve Bandeira.

21 de nov de 2016

Três Horas



Quando alguém ver my baby, digo agora, digo em qualquer hora, digo no século passado, deixo quieto e mando vídeo, mando uma Carolina para todo mundo, mando tortas de frango, aliás, por falar em frango, digo, que não quero ver como um Coca Inc. pode ser incorporada no cardápio da classe média,

20 de nov de 2016

Outra.

Outra vez venho com uma inicial
Dizendo
Inicial que começa com o juízo do seu nome

Quando me diz
Byron eu paro e vou parar
num cinema francês

Juro que não digo mais
Juro que já
te queria por um sorriso

_Juro que não quis ser tão óbvia pra mim.

17 de nov de 2016

Orquídea a Braço

Hoje eu digo que seguro o cigarro de lado, ela me segura pela:

_Esquerda.
_Sim, é bonita.

Disse que fuma por aí, já andei investigando os jardins de Lygia. Prossegui nesse tom que a gente tem quando quer falar que gosta e porque "Está apaixonado e falando tudo".

_ Não, Mônica, não estou apaixonada.

Aparece-me pela direita dizendo que a música brega tem um quê de confessar. Acendo assim mais um cigarro de palha que disse não gostar, de palha, cortada no último domingo.

_ Lógico que quer alguma carta_ Mônica sempre completa.

_ Mas prefiro ser romântica, estragar o computador do meu pai, arrancar os sete Fautos, ou Faunos, ou já não sei mais em que língua falar.

_ Funk, eu sei que ela ouve funk e gosta de se divertir.

_ Talvez...

A prova que não se está apaixonado, a prova que não quer comer nem a beira do Master Chef. Prossigo em silêncio pensando em seu cachorro, o mesmo cigarro parado de lado, a mesma rima, a orelha direita coça.

_ Prefiro política.

_ Ah! Sei que tem marte em...

_ ... Gêmeos.

Meu retorno em sagitário, mas hoje é quinta ainda e a balada nem sei em quantos 10 anos vai parar.

15 de nov de 2016

15 se Novembro.

Pra merda aqui
Vou fazer um bolo
Vai ter convidados
Só vai faltar a minha mãe
Porque a linguística
Acabou
E agora só tem gasolina
Vou embora para Teresina
Lá sou inimiga do Rei
Voy me me embora pra
Peru
Lá não tem cobrança
Agora todos dormem
Em paz
Tem futebol
Tem comebol
Tem Charles Miller
Tem 13 de Piripiri
Mas quando a CPI
Chegar vou tratar
De me danar.

Esse livro não tem
Mais fim.

13 de nov de 2016

Eu Não Sei Dançar.

Estou sempre grávida de um ar em forma de interrogações. Sempre a perguntar da bolsa que me tiraram, de tudo que tenho e não insisto em ter. Pari um milhão de amigos, mas hoje, exatamente hoje ninguém me chama pra dançar.
Se racharem o bico, eu me viro. Já disse que sou pomba-gira descontrolada, daquelas que nem sabe se samba ou se nada.

2 de nov de 2016

Finados

hoje é nada. hoje é som de tecla. hoje não tem aniversário. hoje não tem bolo, só à vela. hoje não tem Pessoa. Hoje não tem quem me deite.
hoje só tem barulho de futebol. dizem que o grêmio vai ganhar, mas estou certa que gostaria de ver são paulo. hoje não tem chão, nem reza nem caixão.

mas hoje tem missa aonde sabemos. hoje tem o mundo inteiro, filha.

1 de nov de 2016

Mas nem sei,

À Morgana

como continuar a escrever
um e-mail perto da nossa
dor
que Deus
é Aquele que dá no céu
de quando você skate
eu já tô em casa
viro street inteiro
jogo video game e dô haduken
amanhã
é dia
dessa que é
aquela que você mais conhece de perto
agora me diz, Morgana, quem é essa mina?
mas a música não pára enquanto você não colocar
a Minas pra
sleep
tight
good-night
e acorda com ela que o trem é quente.

27 de out de 2016

Still.

À Mô Ribeiro

Se as cores escrevem
o que pode sentir
hoje e talvez
na hora em quebra
e não diz nada entre as palavras
apartamento
apartamento
apartamento

Sai e veja se me espia
Sai e veja se tô no Maletta
Sai e veja

à noite as brigas ocorrem
meia
noite
eles voltam

Hora é questão de 9 horas.

Balada da Padaria

A vida é um sonho
que preciso
acordar
todos os dias
A vida está na padaria
a vida
estava
na esquina
A vida não é nada que vai passar
A vida
não está
pra lém
da zona leste de São Paulo.

26 de out de 2016

Agora.

para que seja seja
please, don't cry
agora nessa hora que você
me diz que quer dizer
você me diz dessa forma
don't say agora
deixa eles pensarem
diga por você mesma sempre na
lateral
joga o poema pra

agora.

21 de out de 2016

Distração

me fira quando for pra ferir, me seja o que for que ser. eu que penso, eu que nem sou, eu. Ouço a batalha das teclas como a folha que cismou em grudar no seu cabelo. Velo meu estrabismo que é para que você ria melhor nessa falta de jeito de segurar as pontas. o medo de baratas vem de quando em quando, mas continuo ouvindo o carro lá fora que não é o seu. sexta sempre me parece ótimo para seguir onde quando o ar me falta:
_ Vai dormir, você está cansado.

19 de out de 2016

Outra Lullaby

à Dani com muito carinho,


quando eu ouço essa música sinto
vontade de chorar
para lembrar de onde vim,

mas, se ela soluçar, eu soluço também
hoje foi apenas um número
mas a gentileza da noite é trazer
olhinhos para fechar





Maiakóvski,

Como diria eu, como diria qualquer um
o golpe foi na canela
o golpe se liga e escraxa

Na suéca ruim do povo
Na coisa que não quer para

Não quer reeleger mais não quer,
e se fosse?

Frito na Vilma,
Frito no Scoobdoooo inteiro,

Só me ligo em quer dizer
Só te digo,

Mãe,

Que agora Elke já se foi
olha pra mim que não me aguento mais

9 é o número do Lennon,
o meu é 33.




17 de out de 2016

Norte

toque as teclas
diga o que for
continue na linha.

Diga qualquer poema
diga rim
diga o que for

empacota, manda por sedex
diga o que mais você

âmago, o que for, deixa voltar
pra ver se fica simples entender
seja o que for

I don't care, I don't care

quatro vezes e a sorte
volta
Mais



30 de set de 2016

Relógio. Gota. E os dois que caem deflagrando o
Soluço
Das coisas que prosseguem
Como um buraco no meio da testa
Como a cor branca no meio de nada que não cai
Mais a não ser
Daquilo que não
Sei
Que repete
Tempo e a natureza
Das mudas
Dos ventos
Das tuas coisas que agora
Se desfazem
No armário semi-aberto